jan 24

Cientistas estudam DNA e poderão explicar mediunidade

dna_mediunidade“Nosso DNA é um biocomputador”, dizem cientistas russos. Pesquisas científicas poderão explicar os fenômenos como a clarividência, a intuição, atos espontâneos de cura e auto cura e outros.

Quando cientistas começaram a desvendar o mundo da genética compreenderam a utilidade de apenas 10% do nosso DNA.  O restante (90%) foi considerado “DNA LIXO”, ou seja: sem função alguma para o corpo humano.

Porém, este fato foi motivo de questionamentos, pois alguns cientistas não acreditaram que o corpo físico traria algum elemento que não tivesse alguma utilidade.  E foi assim que o biofísico russo e biólogo molecular Pjotr ​​Garjajev e seus colegas iniciaram pesquisas com equipamentos “de ponta”, com a finalidade de investigar os 90% do DNA não compreendidos.  E os resultados apresentados são fantásticos, atingindo aspectos antes considerados “esotéricos” do nosso DNA.

A seguir, resumimos alguns dos tópicos já estudados por Garjajev e sua equipe, em linguagem coloquial.  Se você gosta de uma linguagem mais científica, de conhecer relatórios de pesquisas e de “ler para crer”, clique nas referências científicas que surgirão ao longo do texto.

Deseja contatar Dr. Pjotr ​​Garjajev, PhD? Clique aqui.

O DNA tem propriedade telepática? Hipercomunicação do DNA

Cientistas concluíram que o nosso DNA é receptor e transmissor de informações além do tempo-espaço. Segundo pesquisas, o nosso DNA gera padrões que atuam no vácuo, produzindo os chamados “buracos de minhoca” magnetizados. São “buracos de minhocas” microscópicos, semelhantes aos “buracos de minhocas” percebidos no Universo.

Estudos sobre “buracos de minhocas” (Pontes de Einstein-Rosen) estão sendo aprofundados com a intenção de comprovar que os mesmos funcionam como pontes ou túneis de conexões entre áreas totalmente diferentes no universo, através das quais a informação é transmitida fora do espaço e do tempo.

Para pesquisadores, o DNA atrai informação e as passa para as células, uma função que os cientistas consideram como a internet do corpo físico, porém mais avançada que a internet que entra em nossos computadores.

Em pesquisas realizadas no Departamento de Química do Imperial College of London observou-se que há interações entre duas cadeias simples de DNA em sequências homólogas (similares) e estão investigando os possíveis mecanismos de reconhecimento e interações entre DNAs homólogos à distância.

Se esta e outras hipóteses similares forem comprovadas, significará que o DNA possui propriedades semelhantes ao que se poderia chamar de “telepatia interespacial e interdimensional”.  Em outras palavras, cientistas pesquisam a Hipercomunicação do DNA, partindo da ideia de que o DNA está aberto a diversos níveis de comunicação.

Pesquisas relacionadas à Hipercomunciação do DNA poderão explicar os mecanismos de fenômenos medíunicos como clarividência, cura à distância, intuição, telepatia, atos espontâneos de cura, auto cura e outros.  Na natureza, a hipercomunicação foi aplicada com sucesso por milhões de anos, organizando fluxo de vida nos reinos dos insetos, por exemplo.

Sobre o tema, leia também (em inglês) clicando aqui.

Reprogramação do DNA através da mente e das palavras

O grupo de Garjajev descobriu também que o DNA possui uma linguagem própria, contendo uma espécie de “sintaxe gramatical” própria, semelhante à gramática da linguagem humana, levando-os a investigar mais profundamente sobre a influência das palavras, da luz (laser) e do som sobre o DNA.  Estão verificando que o DNA responde bem a estas interferências, mostrando que o mesmo se altera diante de certas frequências, assumindo novos padrões.

Um “a parte”: Unindo ciência com a espiritualidade

Permita-me uma junção: estas foram descobertas impressionantes, pois nos lembra os ensinamentos (a nós, espiritualistas) dos hindus sobre os mantras, das afirmações positivas, dos Decretos da Grande Fraternidade Branca, do envio de Luz à distância e tantos outros. Todos nos dizem que ao qualificarmos positivamente a nossa linguagem verbal, o nosso pensamento e as imagens geradas por nosso pensamento, o DNA (e todo o Ser) se reprogramará, aceitando uma nova ordem e uma nova regra, a partir da ideia que está sendo transmitida.

Uma indicação: Vale a pena ler o livro As Chaves de Enoch, onde J.J. Hurtak explica de forma completa essa união entre ciência e espiritualidade, abordando especialmente a interferência sonora sobre nossas moléculas.

 
Voltando às pesquisas

Os cientistas russos estão sendo capazes de reprogramar o DNA em organismos vivos, usando as frequências de ressonância de DNA corretas e estão obtendo resultados bastante positivos, especialmente na regeneração do DNA danificado.  Porém, essas pesquisas estão ainda em suas fases iniciais, mas já é possível vislumbrar grandes avanços para a saúde humana. Eles utilizam a Luz (Laser) codificada para transmitir informações corretas ao DNA.

Sobre o tema, leia também (em inglês) clicando aqui.

O DNA responde a interferências da Luz (Laser)

Continuando nessa linha científica, o pesquisador russo Vladimir Poponin colocou o DNA em um tubo e enviou feixes de Luz (Laser) através dele. Quando o DNA foi removido do tubo, a Luz (Laser) continuou a espiralar no DNA e a irradiar, formando como que “pequenos chacras”.  O DNA mostrou-se agir como um cristal quando faz a refração da Luz, concluindo que o DNA mantém e irradia a Luz que recebe.

Esta descoberta está levando os cientistas a investigarem com maior profundidade a formação dos campos eletromagnéticos ao redor do DNA, o que possivelmente levará a uma maior compreensão sobre os campos eletromagnéticos ao redor das pessoas (aura), assim como também poderá levar ao entendimento das irradiações emitidas por curadores e sensitivos, partindo do pressuposto de que as mesmas acontecem segundo esse mesmo padrão observado no DNA: receber e irradiar, manter a Luz e assumir novos padrões.

Sobre o tema, leia também (em inglês) clicando aqui.

***

As pesquisas continuam e se aprofundam dia a dia. Vemos que muitos aspectos interessantes estão sendo desvendados e ainda há mais por vir.  Por enquanto, pelo sim, pelo não, as evidências científicas nos estimulam a continuarmos com as técnicas de afirmações positivas, cuidando dos nossos pensamentos e das imagens por geradas na mente, a fim de que as nossas transmissões sejam correspondentes à saúde, ao bem estar e harmonia enviadas não apenas ao DNA como também para todo o Ser!

Comunique-se positivamente com seu corpo e reprograme seu DNA, enviando-lhes as frequências corretas!

Leia também:
Extraído e adaptado do site Anima Mundhy

Link permanente para este artigo: http://www.casaluzdoamanha.com.br/home/cientistas-estudam-dna-e-poderao-explicar-mediunidade/