maio 16

Dialogo com Exu Mirim

Fonte: Instituto Cultural de Aruanda, Por: Rodrigo Queiroz (Umbanda eu Curto)
Ditado por Exu Mirim das Sete Encruzilhadas

exu_mirim_pigmeu

– Salve amigo!

– Salve, salve meu companheiro, como vai?

– Eu vou sempre bem amigo. Vim pra falar sobre nós.

– Estava aguardando a oportunidade, então vamos lá! O que tem pra nos dizer Exu Mirim das Sete Encruzilhadas?

– Vamos do início… Sabe amigo, por muito tempo julgaram nós como trombadinhas desencarnados, marginais e toda sorte de delinquentes infantis.

– Ué, mas não são isso? (risos)

– Se não fosse sua risada já ia me retirar. A resposta é não, não somos e nem fomos.

– Mas há entre vocês esta classe de espíritos?

– Por mais que custem discussões intermináveis, tenho que falar que não, não é em nosso grupo de trabalhos que estes infelizes pequenos caídos vão cair.

– Então explique melhor Mirim, como se processa o surgimento de vocês, onde estão, porque aqui vêm?

– Entenda que este nome “Exu Mirim” só existe aqui nessa religião de que manifestamos através da mediunidade; o “Mirim” é porque somos pequenos mesmo, qualquer clarividente pode confirmar isso, mas se o clarividente for um bom observador poderá verificar que somos pequenos, mas não crianças como os Erês.

– O que são então?

– Pigmeus, isso mesmo, temos uma estrutura pequena, lembramos os anões só que sem deformações e pigmeus é o que somos.

– E por que quando incorporados se comportam como crianças?

– Desculpe amigo, mas garanto que não é um Exu Mirim que está se comportando como criança, pois já disse, não somos. Acontece que por má informação por aí se criou a ideia de que somos infantis e daí já viu, a relação médium-espírito é sempre complicada.

– É o tal do filtro!

– Isso mesmo, mas não tem problema, sempre lidamos bem com isso. Enquanto estamos dando o suporte necessário ao médium ele pode até dar umas tropeçadas dessas, sempre tiramos isso de letra.

– Nossa Mirim, estou sentindo uma sensação de confusão com essas suas “revelações”.

– Hehehehe, tá mesmo? Que bom, fique tranquilo que problema é conosco mesmo. Ou provocamos ou resolvemos.

– Tudo bem, deixe que falem e faça o que querem.

– Isso mesmo amigo, como eu disse, certas coisas é para bons observadores; que caia a máscara dos falsos “clarividentes” que mais vêem suas próprias fantasias que a realidade no seu nariz.

– Continue…

– Quando manifestado somos como viemos: brincalhões, extrovertidos e felizes, mas não confundir com “mal educados” ou “delinquentes”.

– Claro.

– Pertencemos a uma dimensão que não é humana, porém muitos de nós já passamos por aqui no lado físico da dimensão humana. O povo pigmeu que por aqui passou veio com nossa estrutura “genética”.

– Mas eram vocês?

– Não, mas digamos que são primos distantes, o que muda é que vieram para a natureza humana e nós não temos esta natureza.

– E como falam nossa língua e podem interagir conosco?

– O grupo que vem para uma linha de trabalho com os humanos recebe por muito tempo treinamentos intermináveis e aprendemos “tudo” sobre vocês. Gostamos dos humanos que são tão complexos e simples para nós.

– Simples e complexos?

– É isso mesmo, um paradoxo. Isso que vocês são.

– E isso lhes agrada?

– Muito, somos muito curiosos e também outras atribuições nos ligam a vocês. Exu e Pombagira tem campos de atuação bem delimitados e nós trazemos em nossa natureza e função o que poderia chamar de ponte entre um e outro. Temos parte dos dois em nós e não somos humanos como dito.

– Por fim….

– Somos encantados preparados para interagir com os humanos fazendo a ponte entre Exu e Pombagira sendo eles humanos e com a força natural ou a ligação com o “Orixá Exu”.

– Sei lá Mirim, esse papo tá ficando complicado.

– E quem disse que era pra ser diferente? Já não ouviu dizer que somos a complicação e solução pra isso?

-(risos) Sim já ouvi…

– Fazemos este trânsito. Porque Exu e Pombagira na Umbanda são humanos como você que caíram e estão no processo de retorno. Por conta disso, precisam de um “cordão” que os ligue à força Divina pura da estrutura “Trevas” que atuam.

– Por isso que dizem que onde tem um Exu trabalhando tem junto dele um Exu Mirim?

– Isso é verdade amigo. Mas não precisamos estar ali “fisicamente” pois estamos ligados o tempo todo de outra maneira.

– Tem quem pense que vocês são uma espécie de subordinados dos Guardiões.

– Outro erro, ninguém é subordinado de ninguém neste triângulo, Exu precisa de Pombagira que precisa de Exu Mirim que precisa de Pombagira que precisa de Exu que precisa de Exu Mirim. Entendeu?

– (risos) Acho melhor desenhar! (risos)

– Olha amigo, não entendo porque vocês complicam tanta coisa simples. Inventam um monte de besteira e não resolvem nada, só criam confusão.

– Lhe parafraseando, diria que tá faltando Exu Mirim na vida da galerinha aqui.

– Hehehe, digamos que sim…

– E o arquétipo, acaso tem algum pra vocês?

– Diria que não, mas vocês mesmo criaram, como símbolo pode fazer o arquétipo dos garotos e garotas que em tenra idade sofreram uma queda moral e comportamental. Até porque energeticamente quando eles passam pro lado de cá são reformados por nós. Lembrando que eles representam o descaso político e humanitário dessa sociedade encarnada no planeta Terra.

– Profundo isso Mirim.

– Achou amigo?

– (risos) Achei sim, mas nem vamos nos aprofundar nisso que então iriam muitas páginas…

– Isso é verdade.

– E Pombagira Mirim, existe?

– E porque não existiria? Para tudo que é macho tem a fêmea, ou mudou alguma coisa na ordem da Criação Divina?

– Tem razão…

– Só que diferentemente de como é entre Exu e Pombagira humanos que têm seu campo de ação delimitado à natureza, nós Mirins nos entrecruzamos nas atribuições: um “invade” o campo do outro sem problemas.

– Então obrigado Mirim, foi muito interessante esta prosa.

– Não tem que agradecer amigo, estamos aí. E se complicar, pode nos chamar!

– Laroyê Exu Mirim!

Nota do Médium: Pra mim sempre foi estranho a linha de Exu Mirim, apesar de trabalhar com eles regularmente. E por mais que se explique sobre eles, ainda fica uma sombra, uma dúvida. Penso que é isso que os movimenta: o revelado velado (ou coisa do tipo). Desde que iniciei na Umbanda ouvi muitas coisas sobre Exu Mirim, dentre elas uma coisa repetida por muitos sacerdotes distintos é que o que Exu Mirim faz ninguém desfaz e que Exu Mirim descobre qualquer demanda ou magia negativa. Fica mais fácil compreender isso agora, pois sendo Exu Mirim uma entidade de uma dimensão diferente da nossa, tudo o que ele projeta está firmado numa dimensão inacessível a nós. É por isso também que eles ficam numa situação mais privilegiada tendo maior sucesso em “varreduras” nesta dimensão pra desfazer as demandas. Curioso, não?

Referencia e Fonte na Internet:
http://umbandaeucurto.com/rodrigo-queiroz/2014/teologia/linha-e-arquetipo-de-exu-mirim/#.VVdH8_lViko

Link permanente para este artigo: http://www.casaluzdoamanha.com.br/home/dialogo-com-exu-mirim/

1 menção

  1. […] VEJA TAMBÉM O DIALOGO COM UM EXÚ MIRIM: http://www.casaluzdoamanha.com.br/home/dialogo-com-exu-mirim/ […]

Comentários foram desabilitados.