«

»

dez 08

Imprimir Post

História da Umbanda e Fundamentos

Umbanda, Unicamente Umbanda

 

BANDÉ voz corrente se ouvir dizer Umbanda Limpa ou Branca, Umbanda Traçada, Umbanda Esotérica, Kardecista, Iniciática, Umbanda no Angola, Umbanda no Jeje, Umbanda no Mina, Umbanda no Nagô  e outras tantas classificações desse quilate, que nos põe a cada momento estupefatos, dado à variedade de designações para esse “movimento mágico religioso”, produzido pela imaginação febril e tacanha onde medram os mais desprezíveis e delirantes pensamentos sobre a nossa Umbanda.

Umbanda é coisa séria, para gente séria. Umbanda sendo a única religião criada no Brasil, não pode ser dividida. A nossa religião deve ser trada com carinho, amor, seriedade e estudo, sobretudo com renovação de caráter dos que a professam para que a mesma possa espelhar a grandeza de sua doutrina.

A Umbanda se sente desmerecida com o tratamento que lhe dispensam boa parte dos Terreiros onde se vê mais “animismo” do que “mediunismo”; mais interesses cúpidos do que magias; mais deslealdade do que autenticidade; mais personalismo do que espiritualismo. A Umbanda que está aí, não espelha sua verdadeira magnitude. São arremedos, nuances, propósitos, insultos, fantasias, infantilismos e graças ao nosso Deus Supremo (Zâmbi), em raros Terreiros, uma quase genuína manifestação do que seja a Umbanda, unicamente Umbanda.

O sacrifício de animais (oferenda de sangue) nunca foi, não é e nem será ritual de Umbanda.

“Não cobrar, não matar, usar o branco, evangelizar e utilizar as forças da natureza”.

Portanto, podemos afirmar que a Umbanda é produto de evolução espiritual ou religiosa.

 

Origem

 

Suas origens estão contidas nas filosofias orientais, fonte inicial de todos os cultos do mundo civilizado, que implantada em nossa terra, reuniu-se às práticas dos conceitos e crenças do índio, branco e negro.

A raiz mais antiga do registro do vocábulo Umbanda encontra-se nos UPANISHADS, textos sagrados da Índia.

É comum ouvir dizer que a Umbanda foi trazida ao Brasil pelos escravos, entretanto devemos considerar que a Umbanda surgiu sobre o amálgama das crenças negras e nativas com o cristianismo.

Segundo, Matta e Silva, “toda essa complexa mistura, que o leigo chama de macumba, baixo espiritismo, magia negra, envolvendo práticas fetichistas e barulhentas … era a situação existente, quando surgiu um vigoroso movimento de luz, ordenado pelo astral superior, feito pelos espíritos que se apresentavam como Caboclos, Pretos Velhos e Crianças.

 

O Que é a Umbanda

 

Não é uma ramificação do catolicismo, muito menos do candomblé.

A   influência Africana desempenhou papel relevante na formação da Umbanda, da qual se constituiu um dos principais alicerces, dando-lhe, como contribuição primordial, Os Orixás. Em sua prática, a Umbanda aproxima-se mais da origem nativa. Na estrutura, porém prevaleceu a influência Africana (nomes, rituais e costumes) 

A Umbanda é uma doutrina espiritualista como o Espiritismo, o Catolicismo, o Protestantismo, o Judaísmo, o Exoterismo, etc…, o que não impede de haver entre elas diferenças essenciais que lhes dão características próprias.

Tem a Umbanda seus Sacerdotes, com seus graus iniciáticos, como Tatás (com mais de 30 anos), Babalorixás (homens) e Yalorixás (mulheres), podendo realizar Batizados, Casamentos e outras cerimônias dentro de seus cultos.

Se religião é todo culto que contém seu cortejo de Divindades, ou melhor, chamado de Teologia (relação entre os deuses e os homens), o seu cerimonial ou Liturgia (fórmulas consagradas de orações) e seus praticantes ou sua classificação hierárquica, Umbanda é Religião. Podendo ser enquadrada em outro sentido, como pr exemplo: Crença Mista, pelo fato de que a Umbanda nada mais é do que uma mistura de várias religiões, tendo fundamento básico na Crença dos Espíritos.

 

Surgimento da Umbanda

 

Esta religião brasileira, surgiu em 15 de novembro de 1908 com o médium Zélio Fernandino de Moraes que tinha 17 anos de idade. O Patrono foi o Caboclo das Sete Encruzilhadas.

Ordenado pelo astral superior, feita pela manifestação de espirítos que se apresentavam como Caboclos (índios nativos de nossa terra) e os Pretos Velhos (velhos africanos que haviam servidos como escravo) que não encontravam campo de ação nos remanescentes Cultos Negros, já deturpados, confusos e desordenados e dirigidos quase que exclusivamente para trabalhos do mal.

A Lei principal da Umbanda é resumida numa só palavra CARIDADE: no sentido do amor fraterno em benefício dos seus irmãos encarnados, qualquer que fosse a cor, raça, o credo e a condição social, não podendo haver ambiciosos, vaiodos, mistificadores, pois estes, mais cedo ou mais tarde, são afastados da Umbanda pelos espíritos de luz.

 

As normas da Umbanda são:

Sessões – assim se chamariam os períodos de trabalhos espirituais;

Vestes – os participantes estariam uniformizados de branco;

Sacrifícios – o sacrifício de aves e animais é totalmente alheio a Umbanda;

Fundamento Básico – é a crença ou culto aos espíritos evoluídos;

Atendimento – gratuito.

 

A origem da palavra Umbanda é oriunda do Sânscrito (a mais antiga língua da Terra _ raiz mestra dos demais idiomas existentes no mundo), que se pode traduzir por “DEUS AO NOSSO LADO” ou “O LADO DE DEUS”. Um outro significado é UM _ DEUS (único) e BANDA _ POVO DA TERRA.  A Umbanda não invoca os espíritos dos desencarnados sem luz.

Na Umbanda são trazidos, e não invocados, os espíritos dos desencarnados, através dos espíritos das Linhas (Caboclos e Pretos Velhos), a fim de conscientizá-los de que deixaram o mundo material, e portanto, deverão deixar de se ligar a tudo que é material.

A Umbanda fundamenta-se nos seguintes princípios: É a crença nos espíritos, dando condição aos mesmos de evoluir, sejam de qualquer classe ou ordem, encarnados (Alma) ou desencarnados(Espírito, prpriamente dito).

Em Essência, a Umbanda fundamenta-se nos seguintes pontos básicos.

  1. Na existencia de Deus Único, Onipotente, Irrepresentável, adorado sob vários nomes (ZÂMBI);
  2. Na crença de um “Orixá Maior”, denominado de Oxalá;
  3. Na crença de Entidades Espirituais em Plano Superior _ Os Orixás ou Santos, chefiando falanges;
  4. Na crença de Guias Espirituais, mensageiros dos Orixás (Caboclos e Pretos Velhos);
  5. Na existência do Espírito, sobrevivendo ao homem, em caminho de evolução, buscando o aperfeiçoamento   (Exus);
  6. Na crença da Reencarnação e na Lei Cármica de Causa e Efeito;
  7. Na prática da Mediunidade, sob as mais variadas apresentações;
  8. Na afirmação de que as Religiões constituem diversos caminhos de evolução espiritual, que conduzem a Deus;
  9. Na prática da Caridade Material e Espiritual;
  10. Na necessidade do Ritual, como elemento disciplinador dos trabalhos;
  11. Na crença de que o Homem vive num Campo de Vibrações, que condicionam sua vida para o bem ou para o mal, conforme sua própria tônica vibratória.

  

As Setes Linhas Da Umbanda

1ª Linha – Linha de Oxalá

 

Esta Linha representa a força máxima da Umbanda, de onde provêm o êxito de todos os trabalhos. É composta de diferentes espíritos de diferentes raças da Terra, não somente brancos e negros, entre eles os espíritos de pretos velhos, padres e freiras, culas almas purificadas atingiram a perfeição.

 

  • Legião de Santo Antônio
  • Legião de São Cosme e São Damião
  • Legião de Santa Catarina
  • Legião de São Expedito
  • Legião de Santa Rita de Cássia
  • Legião de São Francisco de Assis (Semiromba-frade)
  • Legião de São Benedito ou Benzet

 

2ª Linha – Linha de Iemanjá

 

Dirigida por Iemanjá, também chamada carinhosamente de “Dona das Águas”, “Rainha do Mar” e outros nomes. Tem a proteção de Oxum, dona dos lagos e cachoeiras, dos rios, da fecundação e do amor, bem como da Nanã, atuando nas águas das chuvas, realizando a limpeza da atmosfera, purificando as camadas aéreas para que tenhamos no solo, na terra, condições de vida. Composta também de espíritos de diferentes raças, de caboclos, Pretos Velhos e Exus.

 

  • Legião das Sereias, sob a proteção de Oxum
  • Legião das Ondinas, sob a direção de Nanã
  • Legião das Caboclas do Mar, sob a orientação de Indaiá
  • Legião das Caboclas dos Rios, sob a chefia de Iara (Entidade dos Rios)
  • Legião da Estrela Guia, sob a direção de Santa Maria Madalena
  • Legião dos Marinheiros, sob a chefia de Tarimá
  • Legião dos Calungas, dirigida poe Exu Calunga ou Calunguinha

 

3ª Linha – Linha de Omulu (Obaluayê)

 

Esta Linha Linha é dirigida por Omulu (Obaluayê), que detem o poder sobre os corpos vivos ou mortos. Senhor da morte, tem seu trono assentado no Cruzeiro dos cemitérios. Esta Linha é cosntituída de espíritos de médicos e cientistas, Caboclos, Pretos Velhos, Exus e Médiuns Curadores

 

  • Legião de José de Arimatéia, integrada pelas Falanges de Médicos e Cientistas
  • Legião de São Cipriano, integrada pelas Falanges de magias
  • Legião de Caboclos, integradas por Falanges de Caboclos oriundos de todas as raças
  • Legião dos Pretos Velhos, integradas por Falanges de Preto Velhos oriundos de todas as raças
  • Legião dos Povos Orientais, constituídas por Falanges de espíritos evoluídos de todo o Oriente
  • Legião dos Médiuns Curadores, intregrada por médiuns cuja mediunidade é curadora, aqueles que são magnetizadores, são mais ou menos aptos a curar através das mãos
  • Legião de Exu Curadô, constituída de falanges de Exus sob o comando de Exu Curadô (MARAMAEL)

 

4ª Linha – Linha de Ogum

 

Esta Linha, dirigida por Ogum (São Jorge), “Orixá da Guerra”, cujas Legiões são chefiadas por guerreiros de diversas raças, constituídas de Caboclos, Preto Velhos e Exus, invoca as demandas espirituais.

 

  • Legião de Ogum Beira-mar, aliada ao povo do mar
  • Legião de Ogum Malei, aliada à Linha de Malei (Povo de Exu)
  • Legião de Ogum Megê, aliada ao povo Megê (negros africanos)
  • Legião de Ogum Naruê, aliada ao povo Naruê (escravos de várias raças)
  • Legião de Ogum Nagô, aliado ao povo de ganga (Linha de Nagô)
  • Legião de Ogum Iara, aliada ao povo dos rios (Caboclos)
  • Legião de Ogum Rompe-Mato, aliada a Oxossi e seu povo da mata

 

5ª Linha – Linha de Oxossi

 

Esta Linha é chefiada por Oxossi, “Orixá das Matas”, “Orixá da Fartura” constituída de grandes entidades espirituais, espíritos puros que amparam os sofredores utilizando o processo de “Passes” e praticando a cura através das ervas, aplicadas por caboclos, com o auxílio dos exus das matas.

 

  • Legião do Caboclo das Sete Encruzilhadas (ou Caboclo das 7 Matas), que dirige as Falanges dos povos das florestas, tais como os espíritos das tribos Aimorés, Tupi, Tupiniquins e etc…
  • Legião de Araribóia, chefiada pelo Cacique Araribóia
  • Legião de Urubatão, chefiada pelo Caboclo Urubatão
  • Legião da Cabocla Jurema, chefiada pela Cabocla Jurema
  • Legião dos Tamoios, chefiado por Grajaúna
  • Legião dos Guaranis, chefiada por Araúna
  • Legião dos Peles-Vermelhas, chefiados por Águia Branca, integrando as Falanges de índios Chippeway, Sioux e etc…

 

6ª Linha – Linha de Xangô

 

Esta Linha dirigida por Xangô, “Orixá do Fogo” sob a orientação de São Jerônimo, também denominado Orixá da Justiça, impõe a justiça, dando castigo a quem merecer. É a Linha na qual aqueles que foram humilhados, serão elevados espiritualmente, os que castigaram, serão castigados e os que se enalteceram, serão rebaixados.

 

  • Legião de Iansã, chefiada por Santa Bárbara
  • Legião do Caboclo Ventania (ou dos Ventos)
  • Legião do Caboclo das Cachoeiras
  • Legião do Caboclo Sete Montanhas
  • Legião do Caboclo Pedra Branca
  • Legião do Caboclo Cobra-Coral
  • Legião dos Pretos Velhos, integradas por Falanges de todas as raças e dos povos de Quenquelê

 

7ª Linha – Linha das Almas

 

Dirigida por Dom Miguel, que no sincretismo católico corresponde ao Arcanjo São Miguel, integrada por Omulu (Obaluayê)

 

  • Legião de Pai Cambinda, integrado pelas Falanges do Povo da Costa
  • Legião de Pai José D’Angola, integrado pelas Falanges do Povo D’Angola
  • Legião de Pai Congo (ou Rei Congo), integrada pelas Falanges do Povo do Congo
  • Legião de Pai Jerônimo, integrada pelas Falanges do Povo da Moçambique
  • Legião de Pai Francisco, integrada pelas Falanges do Povo da Loanda
  • Legião de Pai Benguela, integrada pelas Falanges do Povo de Benguela
  • Legião de Pai Guiné, integrada pelas Falanges do Povo de Guiné

 

Resumo das 7 Linhas de Umbanda

 

  • 1ª Linha de Oxalá – que representa a paz, a tranquilidade
  • 2ª Linha de Iemanjá – que representa a procriação
  • 3ª Linha de Omulu (Obaluayê) – que representa a saúde
  • 4ª Linha de Ogum – que representa a luta, a demanda
  • 5ª Linha de Oxossi – que representa o trabalho, a fartura
  • 6ª Linha de Xangô – que representa a justiça
  • 7ª Linha das Almas – que representa a humildade, a bondade

 

Link permanente para este artigo: http://www.casaluzdoamanha.com.br/home/historia-da-umbanda/